Dúvidas frequentes

O que é infertilidade?

Quando um casal tem relações sexuais regularmente, sem uso de métodos contraceptivos, ao final de 1 (um) ano de tentativas a chance de ocorrer a concepção é algo em torno de 85-90%. Se não ocorrer a gravidez após 1 (um) ano de tentativas, convém ao casal procurar a ajuda de um médico especialista em reprodução humana assistida. As causas de infertilidade são temas exclusivos de cada casal. O médico vai solicitar a realização de exames clínicos e laboratoriais tanto da mulher como do homem, para identificar as causas da infertilidade e recomendar o mais adequado tratamento para obtenção da gravidez. Para casais onde a mulher tem idade superior a 35 anos recomenda-se reduzir o prazo mencionado acima de 1 (um) ano para 6 (seis) meses.

A dificuldade para engravidar é um problema frequente?

Sim. A dificuldade para engravidar acomete de 10 a 15% de todos os casais em idade reprodutiva.

Quais as principais causas de infertilidade?

A infertilidade conjugal pode ser devida a fatores masculinos (cerca de 35-40% dos casos) ou fatores femininos (40-50% dos casos). Considerando os fatores na esposa, os mais frequentes são: alteração das tubas e peritônio (40%), ausência ou dificuldades na ovulação (40%), alterações uterinas (cerca de 10%). Quanto as causas relacionadas ao homem, pode-se encontrar diminuição da quantidade de espermatozoides (oligozoospermia), diminuição da sua movimentação (astenozoospermia), muitos espermatozoides mortos (necrozoospermia), alteração da forma dos espermatozoides (teratozoospermia).

O estresse influência na infertilidade?

A depressão é um fator prejudicial na fertilidade do casal, sim. Os homens podem ter sua libido afetada e as mulheres que usam antidepressivos não seguros têm chances aumentadas de aborto espontâneo durante as primeiras semanas de gestação.

É de extrema importância buscar auxilio multidisciplinar nos casos de depressão, principalmente se o casal está tentando engravidar. O apoio conjugal é essencial.

Qual a melhor idade para mulher engravidar?

O ideal é que a mulher consiga engravidar antes dos 35 anos de idade. Importante saber que à medida em que os anos passam, ocorre um processo de “envelhecimento” dos óvulos, com diminuição da quantidade, e principalmente da qualidade de óvulos disponíveis nos ovários, situação que determina um declínio natural da chance de engravidar.

Qual a diferença entre tratamento de inseminação e de fertilização in vitro?

A Inseminação, basicamente, consiste em recolher o sêmen do homem, concentra-lo, ativa-lo e transferi-lo para o útero da mulher quando ela está ovulando. E a Fertilização In Vitro, consiste na coleta do óvulo da mulher e do espermatozoide do homem e realização da fertilização em Laboratório especializado (daí vem o nome Fertilização In Vitro) e, na sequência, o embrião é transferido para o útero da mulher.

Endometriose atrapalha o resultado da FIV?

Estudos apontam que a endometriose avançada pode interferir no sucesso da Fertilização In Vitro (FIV). Isso porque taxas de eficiência do procedimento variam de acordo com a redução da resposta ovariana, a qualidade dos óvulos e dos embriões e alterações imunológicas e inflamatórias.
Mas não significa que mulheres com endometriose não podem engravidar com a FIV. É importante ressaltar que os resultados dependerão das condições dos ovários. Mulheres com a doença em estágios leves têm as mesmas chances que as que não possuem endometriose. Só um médico poderá orientar sobre o melhor procedimento para cada caso!

Vantagens da Fertilização in Vitro para a Mãe e para o bebê

A fertilização in vitro tem muitas vantagens para a mãe e o bebê. Um dos principais benefícios do tratamento, segundo os especialistas, é a possibilidade de avaliar os embriões e transferir para o útero os que estão geneticamente normais.

Mulher que fez laqueadura pode ter filhos?

Sim. Uma alternativa é a reversão da Laqueadura, que é um processo que apresenta poucas chances de sucesso de gravidez. Outra alternativa pode ser recomendada pelo médico especialista em Reprodução Humana que é a realização da Fertilização In Vitro, com mais elevadas chances de sucesso.

Homem que fez vasectomia pode ter filhos?

Sim. Pode ser revertida a Vasectomia através de intervenção cirúrgica, geralmente necessitando internação. Se a Vasectomia foi realizada há muito tempo os espermatozoides obtidos podem não ser adequados para se conseguir uma gravidez espontânea. O médico especialista em Reprodução Humana pode indicar a realização da Fertilização In Vitro com a ICSI (injeção intra-citoplasmatica de espermatozoides), sendo os espermatozoides obtidos por punção dos epidídimos.

Com a reprodução assistida é possível escolher o sexo do bebê?

A única situação permitida é quando a escolha está relacionada à doenças ligadas ao sexo.

Existe um melhor método de reprodução assistida?

Quando um problema de fertilidade é diagnosticado em um casal, seja no homem ou na mulher, a Reprodução Assistida é recomendada. Em um contexto geral, não existe uma melhor técnica para possibilitar uma gestação: para cada caso e as suas especificidades, há o tratamento mais apropriado.

Quando procurar auxilio de reprodução assistida?

Casal que mantém relação sexual pelo menos duas vezes por semana há pelo menos um ano, sem métodos contraceptivos, não obtendo a gravidez.

  • Mulheres com mais de 35 anos de idade.
  • Mulheres com menstruações irregulares ou ausentes.
  • Mulheres com Endometriose ou menstruações dolorosas.
  • Mulheres que abortaram 2 ou mais vezes,
  • Homens que tenham tido infecções prostáticas.
  • Homens com espermatozoides em número baixo ou com má formação.
  • História de doença sexualmente transmissível em um dos parceiros.
  • História de infecção pélvica ou genital em um dos parceiros.
  • Cirurgia abdominal prévia em um dos parceiros.
  • Reversão de esterilização cirúrgica em um dos parceiros (Laqueadura na mulher, Vasectomia no homem).
  • Diabetes, pressão arterial elevada ou outras doenças crônicas em um dos parceiros.
  • História de quimioterapia ou radioterapia em um dos parceiros.

Localização